A vitamina D é mesmo uma vitamina ou um hormônio?

Estudos recentes demonstram que a vitamina D participa decisivamente do funcionamento de vários órgãos e sistemas.

Vitaminas são nutrientes essenciais para o funcionamento de nossas células e, portanto, de nosso organismo inteiro. Participam ativamente da infinidade de reações químicas que são imprescindíveis para a vida. São denominadas por letras maiúsculas ( A,B,C,D ou E, por exemplo) e cada uma tem uma função mais característica.

Hormônios são substâncias produzidas por nossas glândulas ou por alguns neurônios específicos e transportados pela circulação sanguínea até seu “alvo”, onde produzirão seus respectivos efeitos. São alguns exemplos a insulina, a testosterona, o cortisol ou hormônio de crescimento. Cada um tem suas missões específicas e seu sistema de regulação.

Pois bem. Estudos recentes demonstram que a vitamina D tem funções regulatórias vitais, isto é, regula a expressão de mais de 1000 genes, participando decisivamente do funcionamento de vários órgãos e sistemas. Por isso, alguns cientistas e estudiosos sugerem que a vitamina D seja considerada um “hormônio”.

Sabe-se hoje que a deficiência de vitamina D está envolvida em patologias como asma, diabetes mellitus tipo 1, hipomineralização óssea causando osteoporose ou raquitismo, doença cardiovascular, dermatite atópica, doença inflamatória intestinal, artrite reumatoide e até mesmo depressão.

Para lembrar, produzimos vitamina D quando o Sol bate na pele. Alguns alimentos também a contem, como peixes tipo salmão, atum ou sardinha. No entanto, para suprirmos as necessidades diárias de vitamina D deveríamos ingerir uma quantidade de peixes nem sempre compatível com nosso hábito alimentar cotidiano.

Portanto, devemos tomar um pouco de Sol todos os dias: 10 minutos são suficientes. A hora mais favorável para a produção da vitamina D – quando a incidência de raios UVB (ultravioleta B) é alta- começa por volta de meio dia e vai até as 16 horas.

Assim, aproveitem a hora do almoço para arregaçar as mangas e deixar o Sol incidir na pele por alguns minutos.

Claro que quem tem antecedentes ou algum risco para câncer de pele deve se proteger e pedir orientação para o próprio médico sobre como proceder para manter satisfatórios os níveis sanguíneos desta vitamina (ou deste hormônio) vital para a saúde.

Fonte: ivinotícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *