Avaliação-do-Proteste-destaque

Avaliação do Proteste indica alto teor de açúcar em bebidas energéticas

217f1743e4404cd57d409446eca1e375O Proteste promoveu, recentemente, um teste de qualidade com dez marcas de bebidas energéticas. Os resultados foram desanimadores. Todas as marcas demonstraram problemas nos rótulos, divergências nas informações nutricionais e alto teor de açúcar nas formulações. Somente uma marca informou corretamente a tabela nutricional. Porém, todas as bebidas contam com elevadas quantidades de açúcar.

Na legislação, a bebida energética deve ter obrigatoriamente ingredientes como inositol, glucoronolactona, taurina e cafeína, com adição de vitaminas e minerais até 100% da Ingestão Diária Recomendada (IDR). Nas embalagens é obrigatório que haja data de validade, denominação de venda, lote, dados do fabricante, modo de conservação, informação nutricional e advertências.

A marca Bad Boy não informou o contato da empresa (SAC); a Red Bull não informa o modo de conservação do produto; e na TNT, há problemas com as cores das letras e da lata nas advertências. Também não mostraram as datas de validade, as marcas Fusion, Red Bull, Red Nose, TNT e V!be . Apenas as marcas Extra Power, Flash Power e Flying Horse não tiveram problemas nos rótulos.

Já o item Informação Nutricional, de acordo com o Proteste, foi o quesito que apresentou os piores resultados por conta da veracidade nas informações. O único produto que mostrou informações adequadas foi o Flash Power. Um dos exemplos é o teor de sódio descrito: 90% dos produtos ultrapassaram os 20% de diferença prevista por lei. A variação foi de 25% no Red Bull e 287% no Fusion (que declara não ter sódio, mas foi encontrado 7,2 mg).

Nos índices de cafeína, todos os produtos declararam corretamente os teores. Já nos indicativos de taurina, três marcas mostraram variações inconsistentes: Red Nose, TNT e V!be. As marcas apresentaram valores de taurina maior do que realmente existem nos produtos.

Com relação à quantidade de açúcar nos produtos, todos indicaram valores bem elevados. “Dependendo da marca e da quantidade ingerida, estes produtos são verdadeiras bombas de açúcar e devem ser evitados”, relatou o documento da Proteste, que usou a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Os teores de açúcar tiveram uma variação de 23,1 gramas por porção de 270 ml (Vibe) e até 82,3 gramas por porção de 270 ml (Flying Horse). Nas marcas Flying Horse e Bad Boy, a quantidade de açúcar encontrada é tão alta que a ingestão de uma lata ultrapassa o limite máximo diário recomendado pela OMS.

Segundo o Proteste, o levantamento foi realizado com as bebidas energéticas , e não as isotônicas. Com informações do Portal SIS Saúde (09/04/2017)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *