Cansaço pode indicar deficiência de vitamina D

Nutriente facilita absorção de cálcio e fósforo e auxilia no fortalecimento dos ossos e dentes.

Desde muito cedo as pessoas são ensinadas a consumir diferentes tipos de alimentos, como verduras e legumes, para garantir a absorção de vitaminas necessárias para o bom funcionamento do organismo. No entanto, apesar de a regra parecer bem simples, é importante entender a função de cada uma delas e como adquiri-las.

A vitamina D ganhou fama nas últimas décadas, mas tanto sua obtenção quando transtornos relacionados a sua deficiência causam muitas dúvidas na população em geral. Hoje é comum a suplementação sintética do nutriente, via cápsulas ou comprimidos.

De acordo com a nutricionista Caroline Miato, uma das principais funções da vitamina é atuar como facilitadora da absorção de cálcio e fósforo no organismo humano, nutrientes que auxiliam na formação e manutenção de ossos e dentes, além de promover qualidade intestinal, diminuir os riscos de depressão e auxiliar no controle do peso.

A nutricionista avalia que os sintomas da deficiência da vitamina D no organismo são bastante sutis, dificultando a percepção. “Quando diagnosticado, já se apresenta em quadro de deficiência severa ou com suas complicações, como osteoporose em idosos, raquitismo em crianças, osteomalacia, comum em adultos, dores articulares e musculares intensas e diminuição significativa de cálcio e fósforo.”

“A vitamina está ligada ao metabolismo do cálcio e o osso é duro por conta da alta concentração desse mineral. Se falta a vitamina, há problemas nos ossos”, diz o vice-presidente da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), Carlos André Uehara.

Mas, como obter o nutriente? Ao falar em vitamina D a resposta já vem à ponta da língua: sol. Uehara afirma que muitos alimentos contêm a vitamina D, porém em forma inativa. A exposição ao sol, no período das 8h às 10h e após as 16h, durante 20 minutos, ao menos duas vezes na semana, é o suficiente para ativar a vitamina D e garantir a saúde.

Alimentação

Alimentos como as carnes vermelhas, com destaque para o fígado de boi, contêm altas quantidades da vitamina na forma inativa. “Leites e derivados, ovos, peixes e frutos do mar, como a sardinha, salmão, atum e mariscos, e os cogumelos proveniente de origem vegetal são excelentes fontes do nutriente”, ressalta Caroline Miato.

Por se tratar de alimentos de origem animal, vegetarianos e veganos, que não consomem esses ingredientes, precisam ficar atentos aos níveis da vitamina. A nutricionista Camila dos Santos acrescenta que nestes casos é necessário contar com auxílio de suplementação sintética, também utilizada por pessoas que possuem deficiência da vitamina.

 

Fonte: Comércio do Jahu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *