Com o aumento de expectativa de vida, o consumo de proteínas e aminoácidos pode contribuir com a longevidade

Suplementação alimentar é uma das principais aliadas no combate à sarcopenia e insuficiência de vitaminas essenciais.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) cerca de 30% da população brasileira terá mais de 60 anos até 2050. A alimentação adequada para o envelhecimento saudável da população é uma das principais discussões sobre o assunto, principalmente, quando se trata da prevenção de doenças comuns a partir desta faixa etária.

Com o envelhecimento uma das doenças que acometem os idosos é a sarcopenia, que consiste na perda de massa e força na musculatura esquelética (como bíceps, tríceps e quadríceps). Ela pode se manifestar a partir dos 35 anos, em média. Em estudo realizado pela Oxford Journals of Medicine & Health Age, mostra que a doença está presente em até 29% da população mundial, e quanto mais velha, maior esse índice.A análise aponta ainda que a sarcopenia aparece entre 14% a 33% dos idosos que estão sob cuidados e em 10% naqueles que passaram por internação em hospitais.

“Proteínas e aminoácidos são fundamentais neste processo. A ingestão de todos os aminoácidos essenciais (principalmente a L-Leucina) está relacionada a manutenção de massa muscular e à promoção do seu bom funcionamento”, comenta Helena Tavares, Nutricionista e Coordenadora Técnica do Grupo de Trabalho de Aminoácidos da Associação Brasileira da Indústria de Alimentos para Fins Especiais eCongêneres (ABIAD), representante do setor de suplementos alimentares para grupos populacionais específicos, tais como idosos. A nutricionista ressalta que este é o principal contraponto à perda de massa muscular causada pela sarcopenia.

Soluções para um envelhecimento saudável

As primeiras associações entre a carência de massa magra e envelhecimento surgiram há cerca de 30 anos. Apenas em 2010 é que o Grupo Europeu de Trabalho sobre Sarcopenia em Idosos estabeleceu que o fenômeno engloba, além da redução muscular, a diminuição de força e a piora do desempenho físico. A partir disso, surgiram diversos estudos para prevenção desta doença.
Recomenda-se que seja feitaa ingestão diária ideal de proteínas e aminoácidos junto a outros nutrientes, formando uma dieta balanceada e completa. A suplementação destes nutrientes se tornou uma solução àqueles que não conseguem ingerir a quantidade necessária no dia a dia, que pode ser indicada a partir dos 40 anos.

Segundo Kathia F.Schmider, Nutricionista, Especialista em Nutrição em Saúde Pública e Coordenadora Técnica da ABIAD, é essencial a avaliação pelo médico ou nutricionista sobre a necessidade da utilização de suplementos alimentares específicos para cada paciente. O objetivo é minimizar o risco de doenças e contribuir para um envelhecimento mais saudável, como, por exemplo, no combate àsarcopenia. “Ter acesso e conhecimento às alternativas que agreguem saúde e que mantenham a qualidade de vida de idosos é de suma importância. A tendência mundial é que esses cuidados e atenção sejam efetivos na vida dessas pessoas”, reconhece Kathia.

Sobre a ABIAD

A Associação Brasileira da Indústria de Alimentos para Fins Especiais e Congêneres (ABIAD) foi fundada em 1986 com a missão de reunir empresas que se dediquem, direta ou indiretamente, à produção, industrialização,comercialização, distribuição e importação de matérias-primas e alimentos para fins especiais, incluindo nutrição infantil, nutrição enteral, diet e light, suplementos alimentares, nutrição esportiva, alimentos funcionais, dentre outras categorias. A ABIAD se dispõe a ser a principal interlocutora do setor no diálogo com o Poder Público e órgãos internacionais, podendo assumir opapel de liderança na defesa de políticas públicas baseadas em dados científicos sólidos e a capacidade para que os consumidores tenham acesso a uma grande variedade de produtos seguros, benéficos e de alta qualidade.

LVBA Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *