Como são definidos os ciclos da alimentação na infância.

Cada fase da infância tem necessidades nutricionais diferentes. Saiba como deve ser a alimentação da criança em cada uma delas.

Desde o nascimento cada fase da infância tem necessidades nutricionais diferentes. Daí a importância de os pais compreenderem como funcionam os ciclos da alimentação dos pequenos. O Manual da Mamãe convidou a nutricionista especialista em Saúde da Família Dra. Veridiane Sirota para esclarecer o que seu filho deve comer conforme vai crescendo. Confira:

Aleitamento materno. O leite materno atende perfeitamente às necessidades dos lactentes, sendo um alimento vivo e dinâmico por conter substâncias com atividades protetoras e imunomoduladoras. Portanto, o aleitamento materno deve ser conduzido até os 2 anos ou mais, sendo que nos primeiros 6 meses deve ser exclusivo.

Introdução alimentar. A partir dos 6 meses, o bebê apresenta aspectos favoráveis para a introdução alimentar, como o desenvolvimento dos reflexos para a deglutição e sustentação da cabeça e coluna. A Dra. Veridiane explica que o método tradicional é baseado na mudança gradual da consistência das preparações, iniciando com os alimentos em forma de papa e evoluindo para preparações levemente amassadas com pedaços macios e, em seguida, para preparações em consistência normal dos alimentos.

Contudo, uma opção mais atual, o BLW, propõe uma abordagem dirigida pelo bebê, ou seja, ele mesmo é quem coloca os alimentos em pedaços na boca. Com isso, o método trabalha a autonomia alimentar e a relação fome/saciedade da criança, e favorece o desenvolvimento motor e fortalecimento dos músculos orofaciais através da mastigação. “É importante elaborar um cardápio variado que oportunize o contato da criança com diferentes alimentos, excluindo os ultraprocessados, como bolachas simples ou recheadas, salsichas, néctar de fruta, gelatina, entre outros. Ainda, é essencial não ofertar mel, açúcar ou alimentos açucarados, laticínios e sal”, orienta a nutricionista.

Alimentação após os 2 anos de idade. Nessa fase, as queixas sobre dificuldade ou seletividade alimentar são muito comuns. A criança começa a rejeitar alimentos que antes gostava, faz chantagens com a comida, só quer comer lanches fast-food e doces. É preciso que a criança faça as pazes com a comida, e isso deve ocorrer de forma espontânea e natural. “O uso de atividades lúdicas, como jogos interativos, brincadeiras, oficina culinária, contação de histórias e pinturas relacionadas à alimentação saudável são meios para facilitar a aproximação e a aceitação dos alimentos”, aconselha a especialista.

Como um nutricionista pode te ajudar?

Ele auxilia na promoção de hábitos saudáveis, a partir do trabalho de Educação Alimentar e Nutricional com a criança e seus familiares, levando em conta as individualidades de todos, como saúde, cultura alimentar e praticidade.

 

Fonte: Manual da Mamãe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *