No Dia da Infância, ABIAD ressalta a importância de cuidados na alimentação de crianças com nutrição especial

Portadoras de necessidades nutricionais decorrentes de uma condição específica, devem ter direito e fácil acesso a produtos adequados

São Paulo, 24 de agosto de 2018 – O Dia Mundial da Infância, comemorado no dia 24 de agosto, permite uma reflexão sobre as condições em que as crianças vivem no mundo todo, o que inclui os direitos básicos de alimentação, educação, saúde, lazer, liberdade, ambiente familiar e segurança.

“Quando se trata de alimentação, o conceito de segurança alimentar, que é determinado pelo acesso regular e permanente à alimentos de qualidade e em quantidade suficiente, sem que haja comprometimento das demais necessidades essenciais, deve ter um lugar de destaque para toda a população infantil, principalmente para aquelas que necessitam de nutrição especial, por conta de condições como alergias alimentares, diabetes, intolerância a lactose, dentre outras”, alerta Kathia F. Schmider, Nutricionista, Especialista em Nutrição em Saúde Pública e Coordenadora Técnica da Associação Brasileira da Indústria de Alimentos para Fins Especiais e Congêneres (ABIAD).

A atenção deve ser redobrada quando essas doenças acometem crianças. Sem tratamento e alimentação adequada, podem ocorrer interferências no crescimento e desenvolvimento, com graves riscos para a saúde atual e futura.

A ABIAD, entidade que representa as empresas para o segmento de alimentos especiais, analisa a importância da alimentação que é oferecida ao público infantil que necessita de uma nutrição diferenciada. Isso inclui produtos para finalidades específicas, como aqueles isentos de lactose, sem adição de açúcares, suplementos alimentares, ou ainda, os destinados à alergia a proteína do leite de vaca, entre outros, através de opções suficientes para uma nutrição completa e adequada.

Alergia à proteína do leite e intolerância à lactose

De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), a alergia ao leite de vaca e a intolerância à lactose são enfermidades diferentes. A intolerância a lactose vem de um carboidrato, a própria lactose, que, em princípio, não provoca reações alérgicas, mas que se não for absorvida de forma correta, é processada de uma certa maneira pelas bactérias intestinais, de modo a formar gases e causar desconforto abdominal, como cólicas, flatulência, dentre outras manifestações. Já no caso de alergia ao leite, estamos falando de uma proteína, que, nesse caso, ultrapassa a barreira mucosa do intestino delgado e chega à corrente sanguínea. A partir disso, fenômenos alérgicos variados podem ocorrer, como incômodos digestivos, ou ainda reações em outros aparelhos e sistemas, tais como urticária, eczema, e em casos mais graves, choque anafilático.

Diabetes
Diabetes é uma doença crônica causada pela falta absoluta ou parcial da insulina no organismo. Isso faz com que o corpo não absorva adequadamente a glicose, o que ocasiona o aumento desta na corrente sanguínea.

Existem dois tipos de diabetes:

Tipo 1: Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), o diabetes do tipo 1 atinge entre 5% e 10% do total de pessoas no mundo, e aparece, geralmente, na infância ou na adolescência e é autoimune.
Tipo 2: Considerado o diabetes do adulto, segundo Associação Nacional de Atenção ao Diabetes (ANAD), esse tipo é responsável por 95% dos diabéticos.

São vários os fatores de risco para o desenvolvimento do diabetes, entre eles estão a obesidade, inclusive obesidade infantil e a falta de atividade física regular.

“Atualmente, existem no mercado vários produtos sem adição de açúcares que podem ser consumidos pelos diabéticos, inclusive por crianças com a doença. Porém, é importante ressaltar que se tenha sempre a orientação de um médico ou nutricionista antes de consumi-los”, ressalta Kathia.

Vale elucidar também aqueles que possuem o “Selo de Qualidade e Confiança ANAD”, cujo processo de avaliação para recebimento do selo é extremamente rigoroso.

Uma criança sem acesso a uma alimentação adequada, composta por alimentos e produtos que assegurem uma nutrição completa, mesmo dentro de suas particularidades nutricionais, é algo nocivo tanto para o indivíduo quanto para a sociedade, uma vez que a fase da infância é determinante para o desenvolvimento do organismo como um todo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *