Proposta proíbe desenhos infantis em embalagens e propaganda de remédios, material de limpeza e insumos farmacêuticos

Aquelas embalagens coloridas com símbolos, figuras e desenhos infantis em rótulos ou propagandas para medicamentos, cosméticos e substâncias saneantes  poderão ser proibidas se o Projeto de Lei do Senado (PLS 145/2014), de autoria do senador Ruben Figueiró (PSDB-MS), que está sendo analisado pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS) for aprovado.  A relatora é a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM).

A justificativa do autor da proposta é que há vários casos de intoxicação infantil por ingestão acidental de medicamentos e produtos similares. “Aos olhos de uma criança, a percepção da embalagem colorida de um produto é diferente da de um adulto. A criança fica fascinada ante o apelo da imagem de um herói de desenho animado, de um bichinho de pelúcia ou até mesmo de um animalzinho que a remete ao universo dela”, argumentou.

Figueiró ainda citou o exemplo de um comercial de um produto de limpeza que incorpora um super-herói. “Ele surge na forma de desenho animado e conversa com o filho da dona de casa para dizer que é o exterminador dos germes”, defende o senador.

Ele entende que, apesar de ser de responsabilidade dos pais, qualquer descuido pode ser fatal. Desta forma, avalia que a iniciativa deverá diminuir a incidência de intoxicação por consumo acidental de produtos tóxicos pelas crianças na proibição de apelos de publicidades infantis.

Com informações da Agência Senado – 29.9.14

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *