Quase um quinto das crianças não consomem ferro suficiente

Enquanto isso, menos de 10% das crianças com idades entre 1-3 anos consomem fibras e potássio suficientes em suas dietas – nutrientes que são importantes para o desenvolvimento e a saúde geral da criança. O estudo também detectou que muitas crianças não consomem uma discreta porção de qualquer fruta, vegetal, grãos ou lácteos em um dia. As batatas fritas continuam sendo a principal fonte de vegetais na alimentação de crianças entre 2-3 anos.

Wendy Johnson, vice-presidente de nutrição, saúde e bem-estar da Nestlé nos Estados Unidos disse: “Boa nutrição durante os primeiros anos da criança é particularmente fundamental porque direcionarão os hábitos alimentares por toda a vida. Os dados do FITS confirmam que mais trabalho é preciso ser feito para melhorar a dietas de bebês e crianças pequenas, e nos dá uma visão do que devemos focar para promover hábitos alimentares saudáveis”.

Iniciado em 2002 pela Gerber e agora conduzido pelo Centro de Pesquisas da Nestlé, em Lausanne, na Suíça, FITS é o maior estudo sobre o consumo de alimentos com foco em bebês, e crianças em idades pré-escolar nos Estados Unidos. Faz parte da iniciativa da empresa Healthier Kids que se compromete a ajudar 50 milhões de crianças a ter uma vida mais saudável até 2030.

O baixo consumo de ferro por crianças é amplamente aceito, mas, diante da extensão da deficiência a Nestlé espera sensibilizar os pais. Os dados do FITS chegaram em um momento oportuno, que poderá auxiliar nas discussões sobre a elaboração do Guia Alimentar Norte-Americano 2020-2025, e reavaliar o pacote de alimentos do programa WIC, que foi revisado pela última vez, em 2009”.

“Embora as organizações acadêmicas e comunidades de saúde pública tenham investido significativamente na melhoria das escolhas de alimentos pelas crianças diante da epidemia de obesidade, é necessário iniciar a discussão bem mais cedo, focando nos esforços concentrados em bebês e crianças pequenas por meio da educação e intervenções que tenham benefícios comprovados. Sabemos que uma boa nutrição e hábitos alimentares saudáveis nos primeiros 1.000 dias podem ter um impacto vital sobre a saúde”, disse o Dr. Ryan Carvalho, diretor médico da Gerber.

O estudo FITS descobriu que menos de um quarto das crianças entre 1-3 anos bem como uma proporção similar de crianças com menos de 12 meses, tinham vitamina D suficiente, e que menos de 10% das crianças entre 1-3 anos consumiam níveis adequados de fibra e potássio, mostra o estudo.

Cerca de 75% das crianças excediam os limites máximos de consumo de sódio, 60% ultrapassam a quantidade de gordura saturada em sua dieta. Aproximadamente 30% das crianças de até um ano de idade, e 45% das de 2-3 anos, bebem bebidas adoçadas em qualquer dia, sendo as de sabor fruta as mais comuns. Mas, nem tudo é ruim, em comparação com 2002. A proporção de crianças que comem frutas aumentou, e o número de bebês que bebem sucos 100% frutas também cresceu.

O número de bebês que são amamentados aumentou, e o período de amamentação também. Foram 83% de bebês mamando, enquanto em 2002 eram 76%. E, 25% dos bebês continuam recebendo o leite materno após o primeiro ano de vida, contra 14%, em 2002.

Fonte: Terra Viva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *