Universitários desenvolvem quebra-cabeça de educação nutricional

Os alunos Gabriela Bizari, que faz nutrição na Faculdade de Saúde Pública (FSP/USP), e Adriano Furtado, da área de design da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU/USP), criaram um quebra-cabeça inspirado no Guia Alimentar da População Brasileira, desenvolvido pelo Ministério da Saúde.

O projeto “Meu Dia Alimentar” teve como objetivo traduzir para uma linguagem infantil para facilitar o entendimento, as recomendações nutricionais do Guia Alimentar. O quebra-cabeça indica as porções e os alimentos responsáveis por uma alimentação saudável. Uma versão para smartphones será desenvolvida até o fim de 2014.

Para ilustrar, o jogo conta com cores e formas. Cada peça leva o nome do alimento, imagem e porção, enquanto que cada grupo alimentar apresenta uma cor.  Os espaços do tabuleiro indicam a quantidade de porções de cada alimento que devem ser consumidas por dia. Para se ter uma alimentação balanceada, o jogador deve preencher os espaços com seus grupos, cores e porções.

Para avaliar o sucesso da empreitada, a aluna Gabriela foi a uma escola infantil de São Paulo e aplicou o jogo em 40 crianças, com idades que variavam entre 7 a 10 anos. “Cada aluno montou seu próprio quebra-cabeça e encaixou as peças com base em seus hábitos alimentares e no que acreditavam ser bom para saúde. Depois, com a ajuda das professoras, aprenderam informações básicas para uma alimentação saudável”, narrou a estudante.

“Um dos exemplos que percebemos na atividade foi que os alunos trocaram a manteiga pelo requeijão no café da manhã. Pois, como o requeijão é do grupo dos lácteos, eles poderiam utilizar a manteiga (grupo dos óleos) em outras refeições. Assim seria possível deixar a porção de óleo para temperar a salada com azeite no almoço”, disse ela.

A peça que representa a água foi outro destaque (está centralizada no tabuleiro e é a única com porção de referência, isto é, 2 litros por dia). Além disso, ela não tem substituta no jogo. Desta forma, os estudantes entendem que é mais importante beber água do que substituí-la.

A versão digital do “Meu Dia Alimentar” está sendo feita em parceria com a empresa State of Mind Apps. O aplicativo será gratuito para smartphones.

Várias empresas e instituições apoiaram o quebra-cabeça, entre elas, a Fundação José Luiz Setúbal – Hospital Infantil Sabará, o Instituto Asas e o Grupo Especializado em Nutrição e Transtornos Alimentares (GENTA). Foram desenvolvidas 2 mil unidades produzidas pela Toyster Brinquedos.

Palestras sobre o “Meu Dia Alimentar” serão feitas em parceria com docentes da Faculdade de Saúde Pública, que validarão o brinquedo como ferramenta educativa nutricional.

Com informações da Agência USP – 8.10.14

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *