Abiad: Processos fundamentais para atuar

Entrevista com Tatiana Pires, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Alimentos para Fins Especiais e Congêneres (Abiad)

AH – De que forma foi (ou está sendo) feito o planejamento da Abiad para 2018?
Tatiana Pires – O plano de trabalho para a Abiad para 2018 é planejado junto à diretoria e às empresas associadas, aprovado em assembleia geral, e tem por objetivo atender às demandas das empresas associadas de forma estratégica, priorizando a agenda de atuação além de organizar os grupos de trabalho e estrutura da entidade para cada vez mais servir melhor às empresas associadas.

AH – Qual foi o impacto do planejamento do ano passado nas ações empreendidas pela Abiad em 2017?
Pires – O ano de 2017 foi importantíssimo para a Abiad: foi feito o planejamento financeiro e levantamento de demandas específicas, tais como reforçar a estrutura de pessoal, além da contratação de serviços que pudessem profissionalizar cada vez mais a entidade. Esses processos de planejamento e implementação são fundamentais para garantir o apoio necessário a uma agenda de trabalho intensa e, ainda, à procura de nossos associados. Só para você ter uma ideia: 2017 foi um ano desafiador para a indústria de forma geral e, mesmo assim, a entidade cresceu em 26% o número de empresas associadas.

AH – Quais são os principais desafios para 2018 – tanto do setor, quanto da própria associação em termos de organização?
Pires – Os principais desafios do setor de alimentos para fins especiais é cobrir uma agenda intensa de trabalho, que envolve a participação em consultas públicas importantes (como a de suplementos alimentares), bem como temas de alta relevância para os consumidores, como a discussão sobre rotulagem nutricional. Ainda, dando seguimento ao processo de fortalecimento da entidade que em 2017 completou 31 anos, seguiremos revisitando a estrutura física e de pessoal (para garantir o apoio aos associados de forma adequada), revisão e modernização do estatuto, missão e visão da entidade, sempre acompanhando novas demandas e tendências. Por fim, também temos prevista a participação da Abiad em feiras e congressos, além de parcerias com as entidades.

AH – O que um bom planejamento de associação deve incluir?
Pires – Planejamento financeiro adequado, pessoal comprometido e definição de prioridades, além de uma plano de trabalho/agenda definida, estabelecida e aprovada em conjunto aos associados. Nos casos de setores regulados, o planejamento de uma associação deve contemplar o monitoramento das movimentações de esferas como o legislativo, executivo, agências reguladoras, ciência e tecnologia, tendências e comportamento e, sempre que possível incluir programas e ações proativas que ajudem no fortalecimento e crescimento dos negócios do setor.

(Sérgio Siscaro)

Fonte: Associações Hoje

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *