Alimentação de crianças brasileiras está inadequada, revela estudo

Um estudo da Universidade Federal de Pelotas demonstrou que a alimentação no primeiro ano de vida está inadequada. A pesquisa estudou crianças até os 12 anos de idade.

Os resultados, publicados na Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento, apontam que o índice de amamentação foi de 95,4%, mas a pesquisa identificou que o tempo foi inferior aos seis meses.  “O tempo de amamentação foi inferior ao preconizado que é de seis meses de duração da amamentação exclusiva, com manutenção do aleitamento até os dois anos de idade ou mais. Além disso, o tempo de amamentação exclusivo também foi abaixo do ideal, o que vai ao encontro de resultados que demonstram o efeito protetor da amamentação contra a obesidade infantil”, concluiu o estudo.

Outro problema detectado foi a introdução  recoce de outro leite na alimentação, principalmente o de vaca, o que pode ocasionar risco de morte e desnutrição devido à contaminação da água para diluir o leite.

O estudo também indicou que 41,9% das crianças usaram as fórmulas infantis e um alto índice de uso de chupetas, fator preocupante por conta da interrupção precoce da amamentação, além dos problemas dentários.

O trabalho ainda relatou que a maioria dos alimentos complementares ao leite materno tem açúcares e conservantes. As crianças que recebem esses alimentos de modo precoce podem ter problemas de crescimento físico e estar suscetíveis às doenças.

Com informações da Agência Notisa – 25.8.15

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *