Biotina pode ser a descoberta para tratar a esclerose múltipla

A enzima biotina pode melhorar significativamente a esclerose múltipla progressiva (EM). Essa foi a conclusão de um estudo apresentado na Academia Americana de Neurologia.

Os 154 pacientes, com idades entre 18 a 75 anos, que tomaram biotina concentrada em grau farmacêutico (MD1003) durante 9 meses, tiveram uma melhora acentuada. As pessoas foram divididas aleatoriamente em grupos placebo (51) e com a ingestão oral de MD1003 (103), em uma dose média de 300mg/dia, durante o período de 9 a 36 meses.

A biotina é uma enzima importante no metabolismo de energia e na produção de ácidos graxos. A substância tem como meta atingir mecanismos envolvidos na Esclerose Múltipla progressiva: ajuda a promover a mielinização e aumenta a produção de energia.

De acordo com a pesquisa: a hipótese é de que a biotina pode ajudar a retardar, parar ou mesmo reverter a progressão da incapacidade associada com desmielinização.

Na visão dos autores, os resultados sugerem que a biotina pode ser muito importante para o tratamento da esclerose múltipla. “Essa é uma grande descoberta, pois atualmente não há nenhum tratamento efetivo para a EM”, conclui. 

Com informações do portal Nutritotal  – 8.5.15

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *