Crianças com ALV contam com menor densidade mineral óssea

Um estudo, realizado em Montreal e Quebec, no Canadá, recrutou 52 crianças com alergia persistente ao leite de vaca (ALV), e 29 com outras alergias, todas  com a mesma faixa etária. Feito durante o inverno com o objetivo de limitar a influência do sol, o estudo objetivou avaliar a ingestão de cálcio, recomendada na RDA (Recommended Dietary Allowance). Segundo as informações do estudo, publicado na revista Pediatrics, as crianças com alergia ao leite de vaca apresentam menos densidade mineral óssea (DMO) e ingestão de cálcio do que as alérgicas a outros alimentos.

Além disso, as crianças com ALV e do grupo controle não tiveram qualquer diferença entre altura, massa corporal magra ou peso.  No entanto, os valores da DMO da coluna lombar foram menores em crianças com ALV. “Os produtos lácteos representam mais de 50% da ingestão de cálcio e vitamina D em crianças. A eliminação desses alimentos da dieta aumenta o risco de inadequação de nutrientes e torna as suplementações de cálcio e vitamina D necessárias nos casos em que as alternativas alimentares não satisfazem as necessidades dietéticas”, concluiu o estudo.

Com informações do portal Nutritotal – 6.5.16.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *