Diagnóstico para alergia

Recente estudo do CDC (Centers for Disease Control and Prevention) indica que a prevalência das alergias alimentares cresceu 18%, resultando em aumento nas hospitalizações, internações e reações, muitas vezes, graves. Quando não diagnosticados, os pacientes mostram sintomas variáveis e de padrões de sensibilidade contra vários alérgenos. Por isso a importância de se fazer análises no sangue de um paciente à primeira suspeita de uma resposta alérgica ou de uma reação severa.

O teste ImmunoCAP ISAC da Thermo Fisher Scientific, mais avançado teste diagnóstico in vitro para o doseamento de anticorpos IgE específicos, é capaz de avaliar 600 alérgenos, inclusive alimentares e aeroalérgenos. O exame pode ser em qualquer paciente, em todas as faixas etárias, com ou sem sintomas, independente da gravidade. O método, que necessita de 40 microlitros por teste, é feito por fluoroenzimaimunoensaio – FEIA como predição positiva (VPP) de aproximadamente 50% e de predição negativa (VPN) com 95%. O funcionamento do teste se dá da seguinte maneira: o alérgeno fica acoplado por uma ligação ao ImmunoCAP, que reage com anticorpos IgE específicos na amostra dos pacientes.

Passados os processos de incubação, lavagem e marcação com a fluorescência, a concentração destes anticorpos é medida. Deste modo é possível avaliar o risco das alergias e detalhar os sintomas. “A disponibilidade crescente de componentes alergênicos, sejam eles purificados através de fonte natural ou produzidos como proteínas recombinantes, marca o início de uma revolução no diagnóstico de alergia: a alergologia molecular. A combinação de tecnologia inovadora de biochip e pesquisa de ponta em alergologia molecular contribuíram como base do desenvolvimento do ImmunoCAP ISAC”, comentou  Janaina Menezes de Araujo, gerente de marketing da Thermo Fisher. Ainda de acordo com a gerente, aos pacientes com sensibilização a vários alérgenos, o ImmunoCAP ISAC é uma ferramenta de diagnóstico muito eficaz, já que permite definir o perfil desses pacientes alérgicos com apenas um teste laboratorial.

Com informações do portal Labnetwork – 11.5.16.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *