Entrevista com Fernando Moura Alves, Secretário de Articulação e Parcerias do Ministério da Cidadania

Conversamos com Fernando Moura Alves, Secretário de Articulação e Parcerias do Ministério da Cidadania, sobre a parceria com a associação para apoio a Instituições de Longa Permanência de Idosos – ILPIs durante a pandemia.

O Secretário, que se define como um facilitador das empresas para o Governo Federal, faz parte da atual gestão federal desde seu início, primeiro na Casa Civil e, desde março deste ano, no Ministério da Cidadania. Por nove anos atuou em empresas privadas e possui uma sólida formação acadêmica em relações internacionais, gestão pública, direito público e gestão de negócios.

Ele comentou ao final da entrevista que o Ministério da Cidadania ficou muito feliz com essa parceria e acredita que outras podem vir a ser realizadas. Para ele, parte do esforço é conhecer o que as empresas fazem dentro do escopo de atuação social. Para o Secretário, as associadas da ABIAD fizeram a diferença na vida dos idosos.

PANORAMA ABIAD – Qual a importância da participação da iniciativa privada no apoio a instituições como as ILPIs?

FERNANDO MOURA – Essa iniciativa do Ministério da Cidadania junto à iniciativa privada acontece em vários setores. A pandemia nos trouxe um cenário diferente, desde que acompanhamos a sua evolução e o Ministro Onyx Lorenzoni determinou aos secretários que buscassem alternativas rápidas e efetivas ao público mais necessitado.

De forma muito objetiva, a Secretaria de Articulação e Parcerias tem como atribuição principal fazer justamente esse cruzamento, essa interface com o setor privado e apresentar as demandas do Ministério para buscar soluções. O foco inicial dessa ação foi as ILPIs por uma razão muito clara, pois é onde está o público alvo do controle dessa pandemia.

No final de março, começo de abril, conseguimos uma oportunidade muito boa de fazer uma videoconferência com o nosso Ministro e algumas associações, entre elas a ABIAD. Na ocasião foi apresentado um panorama das ações do Ministério frente ao combate da Covid-19 e, de maneira muito rápida, a ABIAD se colocou à disposição para que se fizessem essas doações de insumos.

PANORAMA ABIAD – As ILPIs apoiadas são, na sua maioria, geridas pela sociedade civil organizada. Você enxerga, nesse caso, um bom exemplo de união dos três setores – governo, inciativa privada e sociedade civil organizada?

FERNANDO MOURA – Não tenho nenhuma dúvida que essa união, essa soma de esforços, é muito produtiva. Sabemos muito bem que o governo federal tem suas travas e suas dificuldades – um pouco da burocracia em processos licitatórios e o orçamento são dois exemplos. Sabemos que o setor produtivo tem maior agilidade do que o governo como um todo, consegue colocar projetos de pé de uma forma muito eficiente, e, sobretudo, de maneira muito mais ágil. Quando buscamos essa parceria, isso estava muito em tela, ou seja, precisávamos dar uma resposta muito direta e rápida, porque o tempo corria contra nós.

PANORAMA ABIAD – Qual a maior dificuldade enfrentada pela sua Secretaria nesse período de pandemia? A parceria com a ABIAD ajudou a mitigá-la?

FERNANDO MOURA – A pandemia trouxe um cenário muito controverso, tanto para o setor privado, quando para o setor público. No setor público, pelo fato de ter que dar uma resposta rápida – o fator tempo era preponderante para que conseguíssemos chegar até as pessoas que mais necessitavam.

O setor privado é, também, amplamente atingido pela pandemia, com critérios um pouco diferentes, talvez, como redução de jornada de trabalho e políticas de isolamento social implantadas pelos Estados. Mas, com relação à parceria da ABIAD, especificamente, foi feito de maneira muito ágil. Em aproximadamente uma semana, já tínhamos entregas sendo feitas diretamente pela associação e seus parceiros.

A pandemia atrapalha tanto o setor púbico, quanto o privado, mas o que se viu foi uma agilidade e um comprometimento muito grande das associadas da ABIAD diante de toda uma dificuldade.

PANORAMA ABIAD – Antes da pandemia já existia esse tipo de parceria com associações ou a iniciativa privada?

FERNANDO MOURA – A Secretaria de Articulação e Parcerias tem justamente esse objetivo. Eu sempre brinco com a equipe que, quando se fala de articulação, fala-se do “.gov” da porta para dentro, ou seja, identificar possibilidades no governo federal. A outra esteira de trabalho é a porta pra fora, é o “.com”, “.org”, “.int” etc. Toda vez que conseguimos fazer esse match, e esse é um caso muito bem sucedido de atuação das duas esteiras, entendemos que o trabalho da Secretaria está sendo executado a contento.

Temos hoje dentro do Ministério da Cidadania vários projetos, sendo que esse Ministério é o resultado da fusão de dois outros – do Esporte e do Desenvolvimento Social. Eu digo que todos os projetos, em maior ou menor escala, têm aderência com ao setor privado, porque sabemos que as empresas, as maiores, sobretudo, já fazem ações de cunho social.

O trabalho dessa Secretaria é atuar como facilitador, ou seja, cruzar essas informações, porta pra dentro e porta pra fora, e toda vez que a gente consegue fazer uma parceria desse tipo, a gente entende que a Secretaria está fazendo bem o seu trabalho.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *