Envelhecimento requer ajustes nos hábitos nutricionais

A população brasileira está vivendo cada vez mais e, em 20 anos, o número de pessoas com mais de 60 anos deve triplicar, segundo dados do IBGE1. Para aproveitar com saúde e disposição essa etapa da vida, é preciso ter em mente que o corpo passa por diversas modificações à medida que os anos passam e que é necessário adaptar alguns hábitos.

O organismo diminui o ritmo de funcionamento, a composição corporal e as necessidades nutricionais mudam, assim como o estilo de vida. Por isso, estar atento aos hábitos alimentares, manter-se ativo física e intelectualmente, além de cultivar atividades de lazer são atitudes fundamentais para manter a qualidade de vida de quem já passou dos 50 anos.

O doutor em Nutrição e professor da Universidade de São Paulo Antonio Herbert Lancha Junior explica que as demandas nutricionais também se alteram com o passar do tempo e podem ocorrer deficiências de vitaminas e minerais. “Sair menos de casa, apresentar alterações no paladar e dificuldade na mastigação, além de uma alimentação pouco variada são as principais causas de carências de micronutrientes em pessoas com mais de 50 anos”, ressalta o especialista.

Diversos micronutrientes podem estar deficientes em pessoas com mais de 50 anos, como a vitamina D, B e o ferro, devido a esses fatores apontados pelo especialista.

Vitamina D: um dos principais déficits relacionado ao estilo de vida recluso dos grandes centros urbanos e à perda da capacidade de síntese da pele, que deve ser exposta ao sol para que o organismo produza a vitamina. Por isso, muitas vezes, a suplementação é necessária. “Sua deficiência está associada à perda de massa óssea e muscular. A vitamina D é também importante para o equilíbrio das funções neurológicas e cardíacas, além da coagulação sanguínea”, destaca o especialista.

Vitamina B12: outro micronutriente que pode estar em déficit nesta faixa etária e também merece atenção. Presente em alimentos de origem animal como fígado, leite, ovos, peixe, queijo e carne, sua ação no organismo é bastante ampla e está relacionada à formação de glóbulos vermelhos, responsáveis pelo transporte de oxigênio para as células.

Ferro: não menos importante é a deficiência deste mineral essencial para evitar a anemia. “A deficiência de ferro em pessoas com mais de 50 anos se deve, principalmente, ao baixo consumo de carne vermelha, principal fonte do micronutriente”, explica Lancha Junior.

Mesmo com escolhas saudáveis e uma dieta balanceada, é possível que falte a quantidade e variedade diária de vitaminas e minerais que o corpo precisa. Os multivitamínicos podem suprir essas deficiências nutricionais decorrentes da idade de uma só vez, com doses de vitaminas e minerais de até 100% da ingestão diária recomendada (IDR).

Para cuidar da nutrição de forma personalizada, considerando cada fase da vida, a dica do especialista é manter a variedade alimentar e experimentar novos sabores, além de praticar atividade física regularmente. Além disso, Centrum Select Homem e Centrum Select Mulher são importantes aliados da nutrição de homens e mulheres com 50 anos ou mais.

1 IBGE, Coordenação de Geografia. Brasil: uma visão geográfica e ambiental no início do século XXI. 2016; 62.

Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/biblioteca-catalogo?id=297884&view=detalhes

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *