Especialista em Segurança Alimentar cita seis alimentos que ele jamais comeria

O advogado e especialista em segurança alimentar, Bill Marler, que representou milhares de vítimas de surtos de intoxicação nos Estados Unidos nos últimos 20 anos, publicou na revista Bottom Line Health, uma lista com seis alimentos que ele nunca comeria. Na lista constam leites e sucos sem pasteurização que, segundo o especialista, podem ser contaminados com vírus, parasitas e bactérias como a Salmonela, o E. coli e a Listeria. De acordo com o especialista, este leite não pasteurizado tem 150 vezes mais chances de causar doenças do que os outros lácteos pasteurizados.

Os brotos crus ou levemente cozidos de soja, feijão e alfafa, por exemplo, também foram citados por Marler. Em 2011, 4 mil pessoas adoeceram e 53 chegaram a óbito por intoxicação de E. coli causadas por brotos. Os hambúrgueres e as carnes malpassadas são outros exemplos de alimentos perigosos, segundo Marler. “A razão de os produtos moídos serem problemáticos e necessitarem um bom cozimento é porque qualquer bactéria que está na superfície da carne pode contaminar o interior”, disse. Para o especialista, além da carne moída ser mais propensa à contaminação por bactérias, a técnica de maceração das carnes, que utiliza agulhas para amaciá-la, também pode transferir micróbios ao alimento.

Outros alimentos como as frutas e os vegetais prontos para o consumo devem ser obrigatoriamente lavados, haja vista que, quanto mais manipulação e processamento de um produto, maior é o risco de contaminação.

Ovos crus ou semicrus, para o especialista, representam um veneno. No final da década de 1980 houve uma grande epidemia de Salmonela na Grã-Bretanha pela ingestão de ovos crus ou semicrus. O especialista indica que o ovo apresenta muitos riscos e, preferencialmente, o ovo deve ser armazenado na geladeira e cozido para o consumo.

Por último, Bill Marler citou os moluscos crus, principalmente as ostras, que causam muitas intoxicações. A razão é que o aumento da temperatura das águas do mar fez proliferar os micróbios. “As ostras são animais filtradores e recolhem tudo o que está na água. Se existe bactéria, ela entra em seu sistema e se você comer esta ostra terá problemas”, concluiu.

Com informações da BBC Brasil – 4.2.16.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *