Farinha de casa de maracujá pode prevenir ganho de peso e resistência à insulina

Um estudo que envolveu farinha de casca de maracujá comprovou que o alimento melhora a homeostase da glicose, além de fazer aumentar a saciedade na obesidade. A pesquisa experimental, publicada na revista Nutrition, utilizou ratos em três grupos: o controle, que se alimentou normalmente; grupo HF (High fat) onde os animais foram alimentados com uma dieta rica em gordura (35% de gordura); e o grupo HFPF (High fat passiflora flour), com uma dieta com farinha de casca de maracujá.

Nos testes foram avaliadas a sensibilidade e a tolerância à glicose e à insulina por meio de teste de tolerância à glicose (GTT) e pelo teste de tolerância à insulina (ITT). Os hormônios intestinais e adipocinas também foram analisados, assim como a expressão neuropeptídeos hipotalâmicos foi por reação em cadeia da polimerase em tempo real (PCR).  Logicamente, nos resultados, o grupo HF teve uma ganho de peso corporal maior em relação ao de dieta controle. Já o grupo com adição de farinha de casca de maracujá contrabalanceou o ganho de peso corporal e aumentou a expressão do gene CART na comparação com a dieta HF, o que indica que a farinha de casca de maracujá consegue aumentar a saciedade. Sobre a glicose, não houve alterações entre o grupo HFPF e o HF, o que significa que o alimento não produz efeito sobre a intolerância à glicose.

Mas, o consumo da farinha aumentou a taxa de utilização de glicose, o que sugere que pode impedir a resistência à insulina. “Estes resultados representam efeitos fisiológicos da farinha de casca de maracujá que não foram descritos antes e suportam a evidência de que sua ingestão pode ser um componente útil na dieta para prevenir o ganho de peso e resistência à insulina”, diz a conclusão do estudo.

Com informações do portal Nutritotal – 10.6.16.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *