Mais do que números, a pesquisa ABIAD trouxe análise crítica e profunda ao mercado de suplementos alimentares

Maria Aparecida Toledo, diretora de planejamento na Toledo & Associados Research

Realizamos a segunda edição da pesquisa de mercado ABIAD sobre os hábitos de consumo de suplementos alimentares pelos brasileiros, tendo em mente a complexidade da realidade socioeconômica nacional e que, mais do que comprovar algo, queríamos de fato compreender situações que possam auxiliar as empresas associadas da ABIAD a melhorar produtos e processos.

Para isso, utilizamos metodologias e técnicas que nos dão uma visão aprofundada e ampla desse cenário. Desde a distribuição por regiões geográficas e extratos sociais, o uso de visitas aos domicílios (e não telefonemas), e as chamadas abordagens espontâneas e estimuladas, nas quais o pesquisado responde sem contar com alternativas e, posteriormente, escolhe a resposta dentro de uma lista de opções.

Dessa forma, além da visão macro e geral, é possível fazer recortes regionais, sociais, econômicos e dos principais tipos de suplementos.

Além da própria compreensão dos hábitos de consumo de suplementos alimentares, pudemos relacionar esse consumidor a fatores como obesidade, práticas de atividade física, distúrbios do sono e ideologias alimentares, entre outros. Com esses dados em mãos, as empresas podem se planejar ainda melhor e se comunicar mais assertivamente. Tudo analisado não somente de forma pontual, mas comparado à primeira edição da pesquisa, cinco anos antes. Assim, por ser a segunda edição, é possível compreender evoluções e tendências, além do próprio retrato do momento.

A pesquisa possibilitou a quebra de alguns paradigmas, como o fato de que suplementos alimentares não são um consumo de nicho, mas estão presentes na maioria dos lares brasileiros de forma cotidiana e consciente; e que o consumo aleatório ou gerado por propagandas enganosas é, efetivamente, minoria.

Descobrimos, ainda, que o consumo de produtos dessa categoria tem satisfação de 98% dos consumidores, taxa realmente impressionante, sendo cada vez mais recomendado pelos profissionais de saúde. Esse dado permite uma análise dupla: os médicos e nutricionistas têm recomendado o consumo de suplementos alimentares e os consumidores têm adquirido esse hábito por indicação técnica, mais do que por conta própria.

Neste ano de 2020 fizemos uma pesquisa reduzida, focada na pandemia de COVID-19. As respostas demonstram números consistentes em termos de consciência quanto à necessidade de melhoria nutricional, com sinais de que algumas mudanças importantes devem permanecer, mesmo após o controle do vírus.

Além das descobertas e achados acima, essas pesquisas proporcionaram à ABIAD e associadas a construção de um histórico e novas edições delas permitirão mapear e ajudar a projetar as tendências sobre os hábitos de consumo de suplementos alimentares.

E quais serão os desafios que serão revelados:

  • Identificar um crescimento ainda maior de suplementos alimentares?
  • Demonstrar que a pandemia criou mais proximidade com a categoria?
  • Perceber um consumidor ainda mais consciente?
  • Uma atuação ainda mais forte dos profissionais de saúde na orientação e recomendação?

Não é possível afirmar as mudanças a serem concretizadas, mas a importância de novas edições dessa pesquisa para o aperfeiçoamento contínuo do mercado me parece indiscutível.

Veja a pesquisa sobre os hábitos de consumo de suplementos alimentares pelos brasileiros clicando aqui.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *