Suplementos termogênicos viram moda nas academias

A “bola da vez” nas academias parece ser recorrer a suplementos alimentares que aceleram o metabolismo e, em tese, ajudam a eliminar o excesso de peso. O uso de produtos que aumentam a temperatura corporal – chamados de termogênicos – e permitiriam acelerar a perda de gordura foi o tema de uma reportagem publicada na edição de 22 de abril no jornal Folha de São Paulo.

Especialistas ouvidos pela publicação contaram que o consumo desses produtos está tão elevado que, mesmo aquelas pessoas que não frequentam as academias, têm mostrado curiosidade quantos aos seus efeitos. “Até quem foi sedentário durante a vida inteira já me perguntou sobre os termogênicos”, afirmou Mirtes Stancanelli, que é nutricionista esportiva e professora da Universidade de Campinas.

Fernanda Pisciolaro, nutricionista responsável pelo departamento de nutrição da Associação para o Estudo da Obesidade, também responde diariamente a perguntas sobre esses suplementos. “Todos querem saber se eles emagrecem”, afirmou.  “Se você vai à praia, fica bronzeado por causa da exposição ao sol, e não por causa do bronzeador. Da mesma forma, o exercício é o principal responsável pelo emagrecimento nessa associação”, comparou Isabela imentel, nutricionista do Hospital do Coração.

A reportagem observa que, a curto prazo, esses produtos podem favorecer ligeiramente o emagrecimento, desde que vinculados à atividade física intensa, mas existem, porém, riscos de efeitos colaterais pelo uso dos suplementos termogênicos.

O cardiologista Carlos Alberto Machado destacou que esses produtos podem aumentar o risco de arritmias cardíacas e pressão arterial alta ou piorar problemas cardiovasculares já existentes. “É essencial praticar atividade física, mas acredito que não é necessário usar esses aditivos”, orienta Machado. O cardiologista diz que é preciso pesar riscos e benefícios do uso dos suplementos.

Segundo a reportagem, a recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para aqueles que desejam importar os suplementos termogênicos para consumo próprio é que verifiquem se o produto foi avaliado por alguma autoridade sanitária, e que também peçam ajuda de um médico ou de um nutricionista para a identificação de produtos seguros e regularizados junto à agência.

Com informações do jornal Folha de S.Paulo – 22.4.14

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *