Tendência à saudabilidade alavanca consumo de tapioca

A tapioca é uma iguaria indígena que, por muito tempo, fez sucesso apenas no Nordeste e Norte. Hoje, está definitivamente incorporada à alimentação dos brasileiros preocupados com saudabilidade.

Não é por acaso que, em 2015, seu consumo teve um aumento de 30% em todo o país, com uma produção de 40 mil toneladas de massa, segundo dados da Associação Brasileira de Produtos de Amido de Mandioca (Abam). Ainda de acordo com o órgão, a expectativa é que 2016 apresente um crescimento também na ordem de 30%, com a produção de 55 mil toneladas de massa e a geração de uma receita de até R$ 240 milhões.

Grande parte desse aumento é atribuído ao fato de a tapioca ser um alimento nutritivo. Leve, fininha e macia, ela se tornou a “queridinha” das pessoas fitness e dos profissionais da saúde, pois contém baixo teor de sódio, é rica em carboidratos e não possui gliadina, uma proteína presente no glúten que colabora para o aumento da inflamação do organismo e da gordura abdominal. Além disso, pode ser consumida até por diabéticos, desde que acompanhe alguma fibra para que não ocorra a elevação da glicemia.

A tapioca nada mais é que a fécula (derivado semelhante ao amido) da mandioca hidratada com água, em um processo que gera um alimento livre de glúten, açúcar, gordura e ideal para as mais diversas e deliciosas receitas, tanto salgadas quanto doces.

Atualmente, a goma pode ser encontrada em qualquer supermercado, em formatos que vão desde os tradicionais pacotes “almofada”, passando pelas embalagens a vácuo até as barrinhas de tapioca, muito similares às de cereal.

Entre as empresas que fabricam massa de tapioca, está a Casa Maní, que atua há mais de 40 anos no processo de industrialização de mandioca e vem ganhando muito espaço no mercado após investir na expansão de sua fábrica em Tarabai, no interior de São Paulo.

Precursora da embalagem a vácuo para tapioca, a empresa conseguiu aumentar o prazo de validade do produto de três meses para um ano, sem utilização de conservantes. Hoje, já produz massas para dez marcas próprias, que levam uma alternativa saudável, nutritiva e deliciosa à mesa do brasileiro. (Com informações do portal Alimentos & Bebidas – 1.11.16)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *