Triagem Neonatal aumenta 3,69% em 2015, segundo a APAE

A APAE de São Paulo registrou um aumento de 3,69% nos primeiros meses de 2015 no Serviço de Triagem Neonatal (SRTN). Nos primeiros quatro meses de 2014, a instituição realizou a Triagem Neonatal – também chamada Teste do Pezinho – em 131.962 bebês. Em 2015, o número passou para 136.833 recém-nascidos.

Por intermédio do SUS, de hospitais particulares e planos de saúde, a APAE se responsabiliza pela triagem neonatal em 62,5% das crianças do Estado de São Paulo e 76,8% nascidas na capital paulista. A instituição conta com o maior laboratório da América Latina.

“Em 2014, mais de 383 mil recém-nascidos foram triados, sendo 568 positivos no teste básico. As doenças de Hiperplasia Adrenal Congênita e Biotinidase registraram crescimento neste período”, disse Sônia Hadachi, responsável pelo Laboratório do Serviço de Triagem Neonatal da APAE.

Teste do Pezinho
O Dia Nacional do Teste do Pezinho, 6 de junho, foi marcado com uma série de ações de esclarecimentos à população. Profissionais da área médica em hospitais e instituições como a APAE prestaram apoio respondendo perguntas sobre o tema.

Entre as informações está o direito do Teste do Pezinho Básico para toda criança nascida em território brasileiro, totalmente gratuito. As coletas de sangue podem ser  realizadas em maternidades ou mesmo nos Postos de Saúde.

O Teste do Pezinho detecta seis doenças (algumas podem levar à Deficiência Intelectual, se não forem tratadas de modo precoce): Fenilcetonúria, Hipotireoidismo Congênito, Fibrose Cística, Anemia Falciforme e demais Hemoglobinopatias, Deficiência de Biotinidase e Hiperplasia Adrenal Congênita.

O exame é simples: coleta-se gotinhas de sangue do calcanhar do bebê nas primeiras 48 horas de vida. O teste é rápido e indolor.

Há também o Teste do Pezinho MAIS, que inclui mais quatro diagnósticos: Deficiência de G-6-PD, Galactosemia, Leucinose e Toxoplasmose Congênita. E ainda, o Teste do Pezinho SUPER, que é capaz de diagnosticar 48 doenças ao todo.

Com informações da Revista Hospitais Brasil – 9.6.15

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *