Onde estamos

Com uma visão geral do momento atual da ABIAD, Rodrigo Garcia, presidente da Associação, conta nesta entrevista sobre a evolução do número de associados, as recentes contribuições da entidade ao setor, o foco em compliance e a busca em atender as necessidades das associadas.

PANORAMA – Começo nossa conversa com uma pergunta bem aberta: como você enxerga o atual momento da ABIAD?

RODRIGO – Enxergo o momento atual da ABIAD como de intensa transformação. Digo isso por dois motivos principais: o primeiro é pelo fato de que o mundo está mudando em termos de exigências de governança corporativa, mas, ainda mais acentuadamente, o Brasil mudou. Especialmente depois da operação Lava-Jato e tudo o que aconteceu no país em relação à necessidade de transparência e compliance.

O segundo motivo de nossa transformação é que a ABIAD cresceu muito em número de empresas associadas. Saímos de 18 para mais de 60 nos últimos 10 anos. Foi um salto muito grande.

E para gerar essas transformações internamente, estamos com ações efetivas, como a contratação de uma auditoria nas contas da Associação, pela primeira vez nesses 35 anos, e a elaboração do Código de Ética. Ao mesmo tempo, estamos olhando para dentro para ver como é possível atender aos anseios desses novos associados.

PANORAMA – Nos últimos 13 anos, a ABIAD quase que duplicou o número de empresas associadas, saltando de 32 para 61.  Você nota uma mudança no perfil das empresas associadas nesse período?

RODRIGO – Muitas farmacêuticas se associaram à ABIAD, puxadas, especialmente, pelo tema de suplementos alimentares a partir do marco regulatório. Com essa realidade, precisamos continuar atendendo às questões dos fornecedores e da indústria de alimentos, ao mesmo tempo que olhamos para as demandas dessas farmacêuticas.

Temas como nutrição infantil, rotulagem e edulcorantes são típicos da indústria de alimentos e têm sido trabalhados fortemente pela ABIAD, no mesmo patamar que temos atuado em suplementos alimentares.

PANORAMA – Quais as principais contribuições recentes que a ABIAD trouxe ao mercado na sua opinião?

RODRIGO – A partir do marco de suplementos alimentares tivemos um novo momento. É nítido o quanto contribuímos com a construção do guia de rotulagem, da tentativa de o Congresso Nacional controlar os preços dos produtos de nutrição infantil, na campanha de conscientização sobre a segurança no uso de edulcorantes, e nas exigências de logística reversa com sucesso nas ações e informações às associadas.

São alguns exemplos de atuação ampla da ABIAD, seja junto ao poder público, internamente com as associadas ou para o público final.

PANORAMA – A Associação completa 35 anos em um momento atípico do mundo, em meio a uma pandemia. Como vocês se adaptaram a isso?

RODRIGO – Um ano totalmente atípico mesmo. A pandemia trouxe um grande aprendizado para todas as empresas e a ABIAD não ficou para trás, especialmente no que diz respeito ao trabalho à distância. Nos adaptamos com reuniões remotas internas e com autoridades, e sabemos a confiança que foi preciso para isso acontecer. Aprendemos a vencer burocracias, por exemplo para oficializar as reuniões da diretoria. Tem sido um período bem interessante.

PANORAMA – Você citou as principais conquistas recentes da ABIAD. Houve um aumento do espectro de atuação e conquista de representatividade da Associação nos últimos anos?

RODRIGO – A ABIAD já vinha atuando em grande espectro, mas vem reforçando a atuação técnica e é isso que traz respeito e legitimidade para a indústria do autocuidado. Somos ouvidos pelas associadas, pela indústria de forma geral e pelas autoridades.

Temporalmente, este governo trouxe oportunidades que colocaram nossas pautas em evidência. E soubemos aproveitar.

 PANORAMA – Como você enxerga esse momento do ponto de vista histórico da ABIAD?

RODRIGO – Vejo que cada tijolinho colocado antes de nós, tudo o que foi feito até então, permitiu que pudéssemos fazer o que estamos fazendo hoje.

O planejamento estratégico que construímos é super importante e por meio dele, entendemos as demandas atuais das associadas. A partir disso, desenvolver as regras de compliance, tema tão importante para melhorar a transparência e comunicar à Anvisa e principais stakeholders como queremos nos comportar como indústria.

PANORAMA – Você está há cerca de um ano como presidente da ABIAD. Qual a sensação hoje?

RODRIGO – Quando a Tati (Tatiana Pires, ex-presidente da ABIAD) saiu, me preparei para entender qual seria o tijolinho que eu deveria acrescentar. E foram esses dois tópicos: compliance e adequação às novas demandas das empresas associadas. Tenho orgulho desse período, pois continuamos o trabalho que veio da Tatiana e das diretorias anteriores, podendo acrescentar e elevar a Associação a novos patamares.

Fazemos uma associação forte com continuidade nas conquistas e ações. É o que temos feito.

 

Rodrigo Garcia, presidente.